Estou muito emocionado.  Tinha pra mim que o Coronel era daqueles tipos eternos, já que só a sua presença inspirava a todos à grandeza e  excelência.  Orgulho-me de ter aproveitado cada segundo que podia ouvindo suas histórias e ensinamentos, sempre oferecendo-lhe todo o respeito que a figura de verdadeiro Mestre lhe conferia.  Era o mí­nimo que podia fazer.  Alegrava-me chegar no Estande e ver seu carro estacionado ao lado da entrada em sua vaga cativa, que ninguém ousava utilizar em sua ausência. Sugiro inclusive que a vaga seja preservada em sua homenagem, para o dia que sua alma quiser vir nos visitar.  A minha tristeza é muito mais do que apenas a perda de um grande amigo e professor, por ser novo no clube, sinto-me como uma criança que perdeu seu pai ainda no berço, imaginando quantas coisas deixarei de aprender e quantas experiências de vida deixarei de receber, pois o Coronel nunca se furtou de nos treinar, não só para o tiro, mas para a vida.  Acho que a maior homenagem que podemos fazer é honrar o esporte que ele tanto amava, fazendo com que nosso Clube e a CBTD evoluam cada vez mais, sempre com muita disciplina, coragem e vigor, sempre presentes na vida do Coronel.  Não vamos esquecer que o Brasil perde também um de nossos grandes heróis, cujo sacrifício ajudou a livrar nosso país de grandes males.

 

Que Deus o receba de braços abertos no céu, assim como o Coronel sempre nos recebia aqui na Terra!

 

Ivan Viana

Joomlashack