É muito difícil atender a todos. Nem Jesus Cristo o conseguiu. Mas eu que faço parte de inúmeros grupos nacionais, como o da aquisição de Pistolas GLOCK, que aguardo desde fevereiro passado, onde uma licença da Áustria demorou 60 dias, uma de exportação de Washington de uma SIG Sauer pouco mais de 30 dias, e um RM vizinha não atende com menos de 60 dias, podemos ver que o Rio de Janeiro, com o apoio do General Laerte e sob a batuta do TC Almeida, profundo conhecedor do serviço, pois há anos passou por várias carteiras, vai muito bem obrigado.

 

 

 


 

 
Visão do armário de processos a analisar hoje, dia 15 AGO 2017

Não faz muito tempo e a vida dos CAC aqui na 1ª RM era um verdadeiro inferno. Coisas simples ficavam em uma pilha enorme de processos que demoravam 18 meses às vezes a chegar às mãos do analista.


Quantidade de processos prontos entregues a um despachante no Protocolo do SFPC/1

Muitas figuras ilustres passaram tanto em Brasília (Cel Helvetius, por exemplo) como no Rio (David Tebicherani, Silva Azevedo), mas inegavelmente, o time que está ganhando  o jogo hoje é o capitaneado pelos Generais Theophilo e Neiva na Capital e Laerte e o Ten Cel Almeida aqui no Rio de Janeiro.

Já foi feito um Seminário aqui na 1ª RM para todos os CAC inscritos onde foram anunciadas muitas evoluções no sistema.


General Theophilo, Comandante Logístico (COLOG) que enquadra a DFPC

Muitas mudanças implementadas com sucesso, mostram o armário que fotografei hoje, onde o processo de Guia de Tráfego mais antigo é do dia 3 deste mês e hoje é 15. Praticamente uma semana de dias úteis.

É claro que existe uma pilha de processos pendentes, uns aguardando a vistoria e a maioria por erros de preenchimento dos CAC.


General Neiva, Diretor de Fiscalização de Produtos Controlados

Mas o tal Caixa Expresso, invenção carioca, é um sucesso. Lembro que o Chefe do SFPC/1 comentou no Seminário que chegava cedo e ficava constrangido em nos ver na fila para apanhar senhas (limitadas a 8 por carteira, por dia) desde às 4 da madrugada.


General Laerte, Comandante da 1ª RM

E não apenas eu (homens) como senhoras como Vanessa, que muitas vezes me fez companhia.


Tenente Coronel de Infantaria Almeida, atual Chefe do SFPC/1

 

Na semana passada, dei uma corrida lá no Protocolo para dar entrada ao Processo de Desembaraço Alfandegário em uma arma que deve ter chegado hoje, cheguei perto das 9 horas, recebi a senha de número 08, em pouco tempo fui atendido (em meia hora). Neste CAIXA EXPRESSO não há limite de senhas.

É muito difícil atender a todos. Nem Jesus Cristo o conseguiu. Mas eu que faço parte de inúmeros grupos nacionais, como o da aquisição de Pistolas GLOCK, que aguardo desde fevereiro passado, onde uma licença da Áustria demorou 60 dias, uma de exportação de Washington de uma SIG Sauer pouco mais de 30 dias, e uma RM vizinha não atende com menos de 60 dias, podemos ver que o Rio de Janeiro, com o apoio do General Laerte e sob a batuta do TC Almeida, profundo conhecedor do serviço, pois há anos passou por várias carteiras, vai muito bem obrigado.


                      Conselho Consultivo do Comando Logístico do Exército Brasileiro.

Que bom que sou CAC da 1ª RM.

3 MANEIRAS DE FALHAR NA VIDA

1.       Queixar-se de tudo

2.       Não agradecer o que tem

3.       Culpar os outros por seus problemas;

 

 

 

Em atenção a alguns comentários em minha recente postagem a respeito do “dia do atirador esportivo”, mais uma vez o tom de protesto de alguns poucos internautas parece não ser dirigido ao devido destinatário, o que causa desnecessário desgaste e perda de tempo.

Conforme já mencionei inúmeras vezes, o uso deste canal de mídia social visa informar e difundir, de forma não oficial, as atividades do Comando Logístico e permitir a interação com os interessados nas mais diversas áreas de atuação deste ODS e Organizações Militares subordinadas.

Temos, na medida do possível, nos colocado à disposição para receber as mais variadas sugestões e opiniões a respeito das atividades desenvolvidas, mais notadamente aquelas ligadas à Fiscalização de Produtos Controlados. Embora tais sugestões e opiniões sejam informais não significa que não sejam levadas em consideração nas tomadas de decisão, desde que sejam coerentes e factíveis. O que não podemos atender, ou mesmo levar em consideração, são os pontos de vista que esbarram no ordenamento jurídico vigente, sem amparo legal.

É necessário notar que, além do R-105, existem cerca de 90 (noventa) diplomas legais, das mais diversas hierarquias, que regulam o assunto, tais como a Estratégia Nacional de Defesa e a Portaria Normativa nº 620-MD, de 04 maio 2006, o que torna a sua aplicação extremamente complexa.

A atuação de uma pequena parcela, se manifestando de uma forma bastante incoerente e desrespeitosa, desqualifica o debate e não representa o pensamento de uma categoria (Colecionadores, Atiradores e Caçadores) composta por cidadãos de bem, equilibrados no discurso e nas atitudes, aptos e qualificados a portar armas de fogo e que lutam para ter sua atividade reconhecida e devidamente regulamentada.

General Theophilo

 

 

 


 

Joomlashack