Gosto, como muita gente, ouvir o principal canal de TV brasileira e sempre que ocorre algum crime (coisa rotineira no Rio de Janeiro), os comentários das jornalistas me deixam triste.

Não entendem absolutamente nada de armas, não usam e não tem armas, mas sempre dão suas opiniões sem fundamento.

Se esquecem de que muita gente usa armas ou pela profissão ou, como eu, por esporte.

Aliás, se ainda se lembram, a primeira medalha olímpica em 2016 no Rio de Janeiro, foi justamente de Tiro Esportivo.

Essa grande Rede algumas vezes chama especialistas de conhecimento duvidoso o que atrapalha mais do que ajuda.

Armas não matam pessoas; Pessoas matam pessoas.

Aliás, costumo afirmar que os jornalistas são dentre muitos brasileiros, hipócritas, pois carros matam muito mais no trânsito e em estradas e ninguém se importa.

Aliás as leis são até engraçadas: se você mata alguém usando arma de fogo, pega 30 anos de cadeia. Se dirigindo, sobe na calçada e atropela e mata várias pessoas, inclusive mulheres e crianças, num ponto de ônibus, pouco ou nada acontece.

Infelizmente, hipocrisias de lado, para os parentes dos mortos, pouco ou nada importa com que meios foram agredidos e sim a falta que eles farão para sempre.

Sem leis adequadas, tolerância zero para quem tira a vida de outro ser humano, nada mudará e, por favor, deixem nossas queridas e admiradas armas de fora.

Não confunda armas em mãos de traficantes e criminosos com armas em mãos de profissionais da lei, pessoas de bem com ficha impecável e conduta exemplar, ou esportistas.

O filme com o comentarista político americano Bill Wittle acima, bem dá uma luz sobre o assunto...

 

 

 


 

Joomlashack