Várias Polícias no Brasil começam a substituir as problemáticas pistolas Taurus nacionais por armas mundialmente conhecidas como seguras. Nos diversos Estados surgem licitações para aquisição de Beretta, SIG Sauer ou Glock. O Exército testa o PCE normalmente no CAEX em Marambaia (de acordo com o caderno de testes do fabricante; em suma, ele checa os requisitos mínimos de segurança e complementarmente atesta que aquele produto faz o que se propõe a fazer, o que está no manual). Já os PRODE (produtos de defesa), ele testa comparando com os requisitos sobre os quais ele foi construído.

 

 


Várias Polícias no Brasil começam a substituir as problemáticas pistolas Taurus nacionais por armas mundialmente conhecidas como seguras. Nos diversos Estados surgem licitações para aquisição de Beretta, SIG Sauer ou Glock.

O Exército testa o PCE normalmente no CAEX em Marambaia (de acordo com o caderno de testes do fabricante; em suma, ele checa os requisitos mínimos de segurança e complementarmente atesta que aquele produto faz o que se propõe a fazer, o que está no manual). Já os PRODE (produtos de defesa), ele testa comparando com os requisitos sobre os quais ele foi construído.

Este Editor já acompanhou muitos testes no CAEX do Exército como dos blindados Guarani ou dos fuzis IMBEL IA2 mas, nada se compara ao que a Polícia Militar do Estado de São Paulo está fazendo com a licitação de suas pistolas, onde dois concorrentes desistiram e ficou até o final apenas a austríaca Glock.

Vamos aqui acompanhar este teste, similar aos aplicados nos EUA para aquisições militares.

 

 


Licitação pública para aquisição de 5.000 pistolas para a tropa do CPChq - PMESP Testes na amostra 1 – 10.000 tiros – APMBB

 

 

Conforme cronograma de testes, previamente estabelecido por este Centro, iniciou-se nesta data (15MAR18), por volta das 09h15min, o teste de 10.000 tiros na primeira das quatro amostras que serão submetidas a teste, previstos em Edital, no estande de tiro APMBB, com a presença dos fornecedores das empresas BERETTA e SIG SAUER, tendo como atiradores os seguintes policiais militares:

 

- Cap PM 101621-A Marcelo Kiyota do CPChq;  Cap PM 108451-8 Guilherme De Almeida Guedes do 1º BPChq; 1º Ten PM 121950-2 Paulo da Rocha Cavalheiro do 1º BPChq; 2º Sgt PM 127293-0 Anderson Rafael Pininga da Silva do 4º BPChq – COE; Sd PM 131044-5 Wilson Katsuji Nakashima do 4º BPChq – GATE;

 

De início, após a Comissão técnica escolher aleatoriamente uma das 10 amostras, foi iniciada a sessão do teste pelos atiradores na seguinte conformidade:

 

 

A cada 1.000 tiros efetuados mediante revezamento pelos cinco atiradores, com cadência máxima de 2 tiros por segundo, era feita uma parada de 2 minutos para resfriamento do armamento, sem a possiblidade de limpeza ou lubrificação, assim sucessivamente, até que fosse atingida a quantidade prevista para o teste (10.000), perfazendo um total de 3 horas e 55 minutos de realização.

 Nesta sessão, não  foram registradas falha/panes críticas ou graves no funcionamento da amostra testada, estando esta apta a prosseguir, em data futura, no teste de metrologia, queda e precisão, conforme previsto em edital.

Da mesma forma, serão realizados mais três testes de tiro nas amostras restantes, nos dias 19, 20 e 21MAR18.

  Os testes previstos nesta data finalizaram-se as 14h15min.


 

Testes na amostra 4 – 10.000 tiros – APMBB

  

Conforme cronograma de testes, previamente estabelecido por este Centro, iniciou-se nesta data (21MAR18), por volta das 09h03min, o teste de 10.000 tiros na quarta e última amostra da pistola Glock G22 AMS, que estão sendo submetidas a este teste, previsto em Edital, no estande de tiro APMBB, com a presença dos fornecedores das empresas BERETTA e SIG SAUER, tendo como atiradores os seguintes policiais militares:

- MAJ PM 901307-5 SERGIO HARUMI NISHI do 3º BPChq; CAP PM 980887-6 JOSÉ RENATO PRADO GALDINO do 17º BPM/M; 1º TEN PM 114474-0 RENATO DOS REIS DA FREIRIA do RPMon; 2º SGT PM 105401-5 FABIO ARAÚJO JULIÃO do 4º BPChq – GATE; 3º SGT PM 990354-2 LEVI COSME DA SILVA JUNIOR do 4º BPChq – COE; CB PM 138473-2 GEDEON DE JESUS REIS do 4º BPChq – GATE; SD PM 135437-0 RODRIGO DA SILVA PELEGRINI do 4º BPChq – COE; SD PM 144786-6 ARTHUR CESAR LOPES DA SILVA do 4º BPChq – GATE.

  

Após a Comissão técnica ter escolhido, aleatoriamente, uma das 07 amostras restantes, foi iniciada a sessão do teste pelos atiradores na seguinte conformidade: A cada 1.000 tiros efetuados pelos cinco atiradores, numa cadência máxima de 2 tiros por segundo, era feita uma parada de 2 minutos para   resfriamento   do   armamento,   sem   a   possiblidade   de   limpeza   ou lubrificação e assim sucessivamente, até que fosse atingida a quantidade prevista para o teste (10.000), perfazendo um total de 3 horas e 34 minutos de realização.

  

Assim como em outras sessões de testes de tiro realizadas anteriormente, não foram registradas falha/panes críticas ou graves no funcionamento da amostra testada, estando apta a prosseguir nos testes de metrologia, queda e precisão, conforme previsto em edital.

 Destacamos ainda que durante os quatro dias de testes, foram utilizados 120 carregadores trazidos como amostra que foram municiados 2.666 vezes, possibilitando que fossem efetuados 40.000 disparos nas quatro amostras escolhidas.

 Amanhã (22MAR18), dando prosseguimento, serão realizados, na APMBB, os testes de precisão e de força na puxada do gatilho.

 Nesta etapa vencida, foi possível avaliar: a resistência e a robustez do armamento  em  condições  de  uso  severas;  a  queda  livre  do  carregador somente com o acionamento do botão retém; as incidências de falhas de funcionamento (alimentação/extração/ejeção), além da possibilidade da ocorrência  de  cook  off  que  é  o  disparo  involuntário  por  acionamento  da espoleta quando há o aquecimento demasiado da arma.

 

Os testes previstos nesta data finalizaram-se as 13h37min.


 

Testes nas amostras

PRECISÃO E PUXADA DO GATILHO – APMBB

  

 Conforme cronograma de testes, previamente estabelecido por este Centro, iniciou-se nesta data (22MAR18), por volta das 11h00min, o teste de precisão e de puxada no gatilho em quatro amostras da pistola Glock G22 AMS, que estão sendo submetidas a este teste, previsto em Edital, no estande de tiro APMBB, com a presença dos fornecedores das empresas BERETTA e SIG SAUER, tendo como atirador o Cb PM 133267-8 ADRIANO FRANCO e medidor de força de puxada no gatilho, Sd PM 120171-1 PAULO CHENDI JUNIOR, ambos Centro.

 Após a Comissão técnica ter escolhido 3 das 4 armas submetidas ao teste de tiro, e, aleatoriamente, uma das 06 amostras restantes, foi iniciada a sessão do teste de precisão e puxada do gatilho, na seguinte conformidade:

 - Precisão: com uma base metálica de 1m50cm de altura, fixada no solo com parafusos, foi colocado um equipamento (RANSON REST), fornecido pela fabricante GLOCK para fixação das pistolas sob a base, tendo a frente um outro equipamento para medição da velocidade de tiro, que após calibração pelo  técnico  da  fabricante  que  disparava  cinco  tiros,  o  atirador  CB  PM FRANCO efetuava outros 10 para avaliação do teste, que deveriam atingir uma mesma região concentrada do alvo, que estava a 25 metros de distancia.

 

  

-  Puxada  do  Gatilho  –  da  mesma  forma  que  no  teste  de  precisão,  as amostras eram fixadas na base, uma a uma e, por intermédio de um dinamômetro,  devidamente calibrado, o Sd PM PAULO CHENDI JUNIOR, deste Centro,   puxava o gatilho das amostras para verificação da força necessária para seu acionamento, conforme previsto em edital, entre 5lbf e 15lbf.

  

Assim como em outras sessões de testes realizados anteriormente, não foram registradas  falha/panes  críticas  ou  graves  no  funcionamento  da  amostra durante os testes, estando as quatro amostras aptas a prosseguir nos testes de metrologia e queda, conforme previsto em edital.

Amanhã (23MAR18), dando prosseguimento, serão realizados, no CSM/AM, os testes de queda nas mesmas quatro armas aprovadas e metrologia para verificação de qualquer anomalia (dano estrutural ou desgaste excessivo).

 Nesta  etapa  vencida,  foi  possível  avaliar  a  precisão  do  armamento,  que, mesmo após submetidos aos testes de 40.000 tiros, tiveram êxito em concentrar/agrupar.

 

Os testes previstos nesta data finalizaram-se as 15h00min.


 

Testes nas amostras

TESTE DE QUEDA – CSM/AM

 

 Conforme cronograma de testes, previamente estabelecido por este Centro, iniciou-se nesta data (23MAR18), por volta das 10h00min, o teste de queda nas quatro amostras da pistola Glock G22 AMS, já submetidas as testes de tiro (10.000 tiros) e precisão/puxada do gatilho, conforme previsto em Edital, no patio do CSM/AM, com a presença dos fornecedores das empresas BERETTA, tendo como aplicadores o Cb PM 133267-8 ADRIANO FRANCO e o Sd PM 120171-1 PAULO CHENDI JUNIOR, ambos Centro.

A sessão do teste de queda foi iniciada, na seguinte conformidade:

- com uma regua fixada na parede, medindo 2 metros, foi colocado um suporte na parte superior para lançamento das amostras diretamente ao solo de concreto, uma de cada vez, sendo realizado 8 lançamentos em diferentes posições, estando o armamento com a trava manual acionada e não acionada, totalizando 16 lançamentos ao solo em cada arma.

  

- a cada lançamento era verificada pelos sobreditos aplicadores, com a supervisão da Comissão Técnica as condições em que o armamento se encontrava após a queda, em que não poderia haver: Detonação ou marcação da espoleta, soltura/quebra do carregador, desprendimento das munições do carregador e quebra de qualquer peça que impedisse o funcionamento da arma.

Assim, como em outras sessões anteriores, não foram registradas falhas/panes críticas ou graves no funcionamento das amostras durante os testes, estando as quatro aptas a prosseguir nos testes de metrologia, conforme previsto em edital.

Na próxima segunda-feira (26MAR18), no CSM/AM, será dado prosseguimento na inspeção metrológica das amostras que foram submetidas aos testes anteriores com objetivo de verificar qualquer dano estrutural ou desgaste excessivo.

Nesta etapa vencida, foi possível avaliar que os mecanismos de segurança permaneceram atuantes mesmo após quedas de 2 metros de altura, mesmo após submetidos aos testes de 10.000 tiros cada, testes de precisão e intercambialidade.

 

Os testes previstos nesta data finalizaram-se as 12h00min.

 

 

 

 


 

 

 

Joomlashack